A descoberta de novos elementos da Tabela Periódica

A tabela periódica ganha novos elementos! Essa descoberta inclui quatro novos elementos pertencentes as famílias IIA, VA, VIIA e VIIIIA..

A tabela periódica ganha novos elementos! Essa descoberta inclui quatro novos elementos pertencentes as famílias IIA, VA, VIIA e VIIIIA. Os nomes de cada um são: Nihonium (símbolo Nh e representado pelo número atômico 113), Moscovium (símbolo Mc e representado pelo número atômico 115), Tennessine (símbolo Ts e representado pelo número atômico 117) e o Oganesson (símbolo Og, representado pelo número atômico 118.

 

No decorrer da história da Química, os elementos químicos foram sendo descobertos e organizados, de forma gradual. O químico russo Dimitri Mendeleev, foi um dos principais cientistas que dedicou anos de sua vida para tentar “organizar os elementos” numa tabela. Por volta de 1800, ele percebeu que existia uma relação entre os elementos e a sua massa atômica, e que era possível prever os locais na tabela, em que poderia ser encaixados. Essa organização apresentou falhas, pois com a descoberta dos isótopos, ficaria praticamente inviável organizar os elementos numa tabela. Mas, Mendeleev deixou uma contribuição muito importante para a química. Foi a descoberta das propriedades periódicas, ou seja, alguns elementos apresentam características muito próximos entre si, como os metais, que apresentam brilho característico, condutividade térmica e elétrica e outras. Desse modo, Mendeleev previu buracos na tabela que poderiam ser encaixados por novos elementos que ainda iriam ser descobertos.

 

Após diversas tentativas de organização, o químico Moseley, em meados de 1900, organizou os elementos em crescente de número atômico, mantendo-se a previsão de posicionamento de Mendeleev. Essa organização está presente na tabela periódica atual.

 

No dia quatro de janeiro de 2016, a tabela proposta por Moseley foi completada ao receber quatro novos elementos. Os novos elementos foram aceitos pela União Internacional de Química Pura e Aplicada (IUPAC) e pela União Internacional de Física Pura e Aplicada (IUPAP), órgãos internacionais que regulam e estabelecem as diretrizes da química e da físcia.

 

Como o número atômico de cada um desses novos elementos é 113, 115, 117 e 118, respectivamente, eles não são encontrados livres na natureza e são denominados de transurânicos, ou seja, são produzidos artificialmente no laboratório. O máximo que podemos encontrar na natureza, são elementos (naturais) com número atômico até 92.

 

Com essa nova descoberta, pode-se imaginar que novos elemento ainda possa existir. A tabela periódica atual, como conhecemos, foi completada com essas quatro descobertas. Mas, num futuro próximo, e se descobrirem mais novos elementos? Como a tabela periódica tem uma estrutura em ordem crescente de número atômico e também está organizada de acordo com a estrutura eletrônica de cada elemento, se por acaso vierem a descobrir novos elementos, deve-se aumentar um período na tabela e encaixá-lo de modo a iniciar um novo ciclo de organização.

 

link da matéria: https://www.tecmundo.com.br/quimica/112326-oficial-tabela-periodica-ganha-novos-elementos.htm

This article was written by BeaC.