Avaliação de professores brasileiros diz que prova do Enem deste ano foi difícil

Em uma avaliação feita por professores de todo o Brasil, a conclusão do Exame Nacional do Ensino Médio deste ano.

Em uma avaliação feita por professores de todo o Brasil, a conclusão do Exame Nacional do Ensino Médio deste ano foi de que a prova não foi nada fácil para os estudantes que não se prepararam. Segundo a avaliação dos professores brasileiros, essa última edição do Enem valorizou os estudantes que se prepararam para a prova, de um modo que os chamados “paraquedistas” sentiram as dificuldades de não ter estudado o suficiente.

O professor Ronaldo Carrilho que leciona física no Anglo, avaliou a prova: “Neste ano, a quantidade de questões difíceis foi bem maior que nas provas anteriores. Só um aluno com muita bagagem teórica vai conseguir tirar uma nota alta”. Segundo o professor, o destaque foi para a originalidade das questões deste ano. “Pelo menos um quarto da prova tem questões de altíssimo nível, que não dá pra resolver só na interpretação de textos e gráficos. Não foi uma prova para paraquedistas.”

Já o supervisor de matemática, Robby Cardoso, também do Anglo, disse que a edição deste ano do Enem exigiu que os estudantes de fato conhecessem o conteúdo avaliado. “A prova cobrou os mesmos conteúdos, mas de uma maneira mais refinada. Conhecimento mesmo”, disse Robby Cardoso.

O professor de biologia Nelson Castro, que também leciona no cursinho do Anglo, disse que o conteúdo deste ano foi além do básico ensinado no ensino médio. “Algumas questões cobraram conhecimentos complexos que, no ensino médio, são vistos bem ‘por cima’”, disse Nelson Castro.

A edição deste ano passou por diversas mudanças, que há muito tempo não ocorriam no Enem. Esta é a primeira edição do Enem em que dois domingos são utilizados para a realização da prova. Nas edições anteriores, a escala das provas era de um sábado e um domingo, sempre ao final do ano.

Outro destaque foi que as matérias de exatas e de humanas foram agrupadas de uma maneira que ficassem escaladas em dias diferentes. Embora as mudanças tenham sido sentidas pelos estudantes brasileiros, o professor Paulo Moraes avalia que o Enem de 2017 contou com uma melhor administração em relação a aplicação da prova.

“A divisão dos dias e a unificação de humanas e exatas foram os maiores ganhos da prova neste ano. Além disso, as questões ficaram mais densas e condensadas, o que deixa mais tempo para que o aluno as resolvam”, disse Paulo Moraes.

 

This article was written by BeaC.