Banco Central Europeu demonstra otimismo

Com a aproximação de eleições cruciais na França, o Banco Central Europeu optou no dia 24 de abril por não.

Resultado de imagem para banco central europeu

Com a aproximação de eleições cruciais na França, o Banco Central Europeu optou no dia 24 de abril por não balançar o barco, deixando sua política monetária inalterada para as 19 nações usando o euro. Mas para analistas e investidores – que analisam cada palavra falada por Mario Draghi, o presidente do banco, alerta para mudanças sutis, mesmo em linguagem ou tom – havia muito o que focar.

O resultado no dia 24 foi que o Conselho do Banco Central tornou-se mais otimista sobre a economia da zona do euro, movendo-se com tanta cautela no dia em que começará a retirar suas medidas de estímulo e, eventualmente, aumentar as taxas de juros. O euro subiu tanto quanto 0,6% em relação ao dólar pouco depois de Draghi ter começado a falar, mas desde então desistiu da maioria desses ganhos.

O Banco Central Europeu, reiterou sua promessa de continuar comprando títulos governamentais e corporativos – uma forma de estímulo econômico – até o final do ano, “ou além, se necessário”. Observadores do banco central estão obcecados sobre quando em 2018, o banco pode começar a diminuir, ou diminuir as compras de títulos. Algumas mudanças sutis na linguagem usada pelo Sr. Draghi, sinalizaram que o banco central está lançando as bases para o afunilamento, mas que ainda está de acontecer.

Após cada reunião, o Conselho do Banco Central publica uma declaração que dá sua opinião sobre o estado da economia na zona do euro. A declaração anterior, em março, foi ligeiramente mais otimista do que nos meses anteriores. A atualização do mês de abril continuou a tendência para mais otimismo. Draghi descreveu a economia da zona do euro como “cada vez mais sólida” e disse que “os riscos negativos diminuíram ainda mais”.

Draghi também declarou recentemente que a inflação na zona do euro continua fraca. O Banco Central Europeu teve uma redução de 25% no mês de abril em relação a compra de dívida pública. A redução foi de 80 para 60 milhões de euro por mês. O presidente da instituição revelou que o clima otimista ainda prevalece, mas que, no entanto, é importante olhar para a inflação que está atualmente em 1,5%, e esperar um aumento significativo.

Draghi também declarou recentemente que a inflação na zona do euro continua fraca. O Banco Central Europeu teve uma redução de 25% no mês de abril em relação a compra de dívida pública. A redução foi de 80 para 60 milhões de euros por mês. O presidente da instituição revelou que o clima otimista ainda prevalece, mas que, no entanto, é importante olhar para a inflação que está atualmente em 1,5%, e esperar um aumento significativo. Mario Dragui revelo que “a inflação caiu mais do que o esperado em março e em todas as suas componentes”.

Outro ponto positivo para a economia da zona do euro, foi que o desemprego teve uma queda significativa de 9,5% no mês de fevereiro. Se comparado com os Estados Unidos, o nível ainda é bastante alto, no entanto, a queda já começa a aparecer. Segundo os dados, esse é o melhor número desde os últimos oito anos. Somente nos últimos 12 meses, cerca de 19 países da zona do euro conseguiram criar 1,2 milhão de empregos, e quase a metade desse número foi mérito da Espanha.

This article was written by BeaC.