Brasil ainda está longe de dar motivos para idosos comemorarem seu dia

  Segundo dados do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a estimativa para o ano de 2060 é.

 

Segundo dados do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a estimativa para o ano de 2060 é de que o número de brasileiros na faixa etária dos 80 anos ou acima disso representarão 19 milhões de idosos no Brasil. A tendência é que a expectativa de vida melhore a cada ano, mas a realidade vivida pelos idosos do país não condiz com boas perspectivas para o futuro.

No Brasil, faltam respaldos vindos da sociedade e do governo voltados para os cuidados da população idosa. Isso é observável em termos de condições de vida oferecidas aos idosos, que em comparação com países desenvolvidos, perde em termos de políticas públicas e sociais sem foco nesta população. As pessoas devem se preparar e desenvolver um senso de respeito e educação referente aos idosos no Brasil.

“O Brasil conquistou a vitória de aumentar a longevidade da sua população. Hoje, vive-se mais, a média de expectativa de vida da população brasileira é de mais de 75 anos. Agora, é preciso um amplo programa educacional, para que toda a população tenha noções básicas sobre o processo de envelhecimento, para que valorize e respeite a pessoa idosa”, diz Bahij Amin Auh, vice-presidente da CNDPI – Conselho Nacional da Pessoa Idosa.

No dia 1 de outubro foi comemorado o Dia Internacional do Idoso. O Brasil ainda caminha para que esse dia seja de fato motivo de comemoração e alegrias vividas pela população idosa. Existem políticas que já estão se voltando com mais ênfase para esse público que só tende a crescer no país e no mundo. Uma dessas políticas é a do Estatuto do Idoso, criado em 2003 e que tem como um de seus objetivos, estimular as escolas de todo o país a introduzirem o tema “qualidade de vida dos idosos” e buscar conscientizar os mais jovens. Infelizmente isto não está sendo feito, diz Auh.

Uma outra questão que deveria ser levado mais a sério pelas autoridades brasileiras são as políticas públicas que dão foco para a qualidade de vida da população idosa. Isso inclui programas de incentivos para a saúde física e mental dessa população. “Não adianta um corpo vivo. É preciso que a mente e as relações das pessoas idosas estejam em atividade”, diz Auh. Muito ainda deve ser feito, e isso deve ser feito o quanto antes.

 

This article was written by BeaC.