Desmatamento na Amazônia cresce e preocupa o meio ambiente

No ano de 2016, a taxa de desmatamento na Amazônia voltou a crescer, em um percentual de quase 30%, se.

Image result for desmatamento

No ano de 2016, a taxa de desmatamento na Amazônia voltou a crescer, em um percentual de quase 30%, se comparada ao ano de 2014. Esse aumento é bastante preocupante, pois essa região é considerada essencial para o meio ambiente brasileiro e mundial, tendo em vista que abriga mais da metade da biodiversidade do mundo, ocupa um terço das florestas tropicais da terra, auxilia no equilíbrio climático por meio da evaporação e transpiração das árvores, funciona como grandes armazéns de carbono, dentre outras utilidades. O Brasil se comprometeu a zerar o desmatamento na Amazônia até 2030 e resgatar os doze milhões de hectares de floresta já perdidos, para assim ajudar a combater o aquecimento global. Mas, diante desse aumento da taxa de desmatamento, fica difícil cumprir o que ficou estabelecido no Acordo de Paris.

Em março de 2017, a revista científica “Nature” publicou uma reportagem alertando que a Floresta Amazônica corre o risco de ficar em um círculo habitual de seca e desmatamento causado pelas atividades humanas, bem como passar por um período sem chuva na região. A pesquisa foi realizada pela cientista da Universidade de Gotinga, Alemanha, Dra. Delphine Clara Zemp, que desenvolve um trabalho voltado para os efeitos das mudanças climáticas e uso do solo em florestas tropicais, no intuito de colaborar para uma gestão sustentável do ecossistema. Para ela, a redução de precipitações aumenta o risco de desmatamento e o desflorestamento pode acentuar a seca na região. A especialista ressalta, ainda, que quanto maior for a seca, menor será a floresta, e quanto menor a floresta, maior será a seca.

E tudo isso devido à combinação de fatores que estão envolvidos nesse crescimento do desmatamento na Amazônia, sendo eles a exploração ilegal de madeira, o corte de árvores para a formação de pasto e a ausência de investimentos com a finalidade de fiscalizar e combater o avanço ilegal do uso das motosserras. No entanto, o Ministério do Meio Ambiente confirmou que pretende executar o que ficou estabelecido no Acordo de Paris sobre mudança do clima até o ano de 2020, com a diminuição do desmatamento através de um plano de prevenção e controle. Quanto à fiscalização, o IBAMA noticiou que tem disponível mil fiscais, mas sabe que o número é insuficiente para cobrir toda a área da Amazônia, que possui cinco milhões de quilômetros quadrados. É preciso muito esforço para vencer essa luta contra o desmatamento.

Para saber mais sobre a importância da preservação da Amazônia e demais florestas do Brasil, veja essa matéria especial elaborada pelo Greenpeace, organização global e independente que atua para defender o meio ambiente, clicando aqui.

 

 

This article was written by BeaC.