Dom Raymundo Damasceno deixa a Arquidiocese de Aparecida

O cardeal Dom Raymundo Damasceno deixa a Arquidiocese de Aparecida, no interior do Estado de São Paulo, depois de passar.

O cardeal Dom Raymundo Damasceno deixa a Arquidiocese de Aparecida, no interior do Estado de São Paulo, depois de passar treze anos no cargo. Numa missa realizada no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, o arcebispo despediu-se perante quinze mil pessoas, amigos, familiares, autoridades e fiéis.

A celebração deu-se de forma discreta à pedido de Dom Raymundo Damasceno. Nela, ele relembrou os momentos marcantes à frente da arquidiocese. Num discurso de vinte e um minutos, o cardeal relembrou: “Muitas recordações passam pela minha memória e pelo meu coração”.

Dom Damasceno chamou de “memoráveis” as visitas dos papas Bento XVI, em 2007, e Francisco, em 2013, ano em que este subiu à Cátedra de São Pedro e veio ao Brasil para a Jornada Mundial da Juventude, realizada naquele ano, no Rio de Janeiro.

Relembrou o que chamou de “conquista”: a transferência das assembleias anuais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para o santuário de Aparecida,a partir de 2011.

Dom Raymundo Damasceno agradeceu ao papa Francisco o fato dele ter iniciado os festejos aos 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida a pescadores do Rio Paraíba do Sul, no dia 12 de outubro de 1717, data comemorada por fiéis até hoje.

A celebração durou duas horas, uma a mais do que o habitual, pois ao final leram-se discursos em homenagens ao cardeal, fazendo-o ficar com os olhos cheios de lágrimas.Dom Raymundo Damasceno deixará o cargo pois completará 80 anos, no próximo dia 15 de fevereiro, perderá o direito de eleger um novo papa no conlave, e voltará a Brasília, de onde partiu, em 2004, para assumir a Arquidiocese de Aparecida. Poderá, ainda, assumir alguns postos nas assembleias da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), entidade por ele presidida entre 2007 e 2011.

No lugar de Dom Raymundo Damasceno assumirá Dom Orlando Brandes, oriundo da diocese de Londrina no Paraná, que assumiu em 2006, em que também é arcebispo. A transição de cargo durou dois meses, e Dom Orlando Brandes assumirá o posto de maneira definitiva no dia vinte e um de janeiro.

Dom Raymundo Damasceno apresentou renúncia ao Vaticano em 2012, quando completou 75 anos, mas esta só foi aceita em novembro de 2016. O código de Direito canônico, que rege a vida dos religiosos, prescreve que cardeais só mantém o direito de eleger papas até os 80 anos. Dom Raymundo será agora, arcebispo emérito, assim como foi seu colega Dom Paulo Evaristo Arns, morto em dezembro de 2016, aos 95 anos.

Dom Raymundo credita sua ida a aparecida às orações de sua mãe: “Minha mãe era muito devota. Frequentava Aparecida, fez peregrinação algumas vezes e não sei o motivo, mas ela pediu que eu viesse realmente para cá [Aparecida]. Diria que Nossa Senhora atendeu aos pedidos dela e não me arrependo de ter aceito a designação do Papa João Paulo 2º. Me sinto feliz, realizado”. pontuou o religioso.

This article was written by BeaC.