Donald Trump se envolve em nova crise

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump, teve seu nome mais uma vez, envolvido em polêmica. A nova crise é.

Imagem relacionada

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump, teve seu nome mais uma vez, envolvido em polêmica. A nova crise é com o FBI, com suspeitas de que ele teria compartilhado informações secretas com os russos. Ele afirmou que nenhum outro político da história foi mais injustiçado do que ele.

Trump falou depois de ser apontado como suspeito por tentar interferir em investigações do FBI, sobre qual seria a relação entre integrantes do seu governo e a Rússia.

Esse novo episódio surgiu, quando o presidente demitiu o diretor do FBI, James Comey, sem motivo aparente. No dia seguinte, na Casa Branca, Donald Trump teve uma reunião

com o chanceler russo, Serguei Lavrov.

Essa demissão criou uma suspeita, porque Comey fazia no FBI, uma investigação sobre um suposto arranjo entre o comitê de campanha presidencial de Trump e a Rússia, no ano passado.

A Casa Branca fez declarações controversas, sobre o que ocasionou essa demissão de Comey, movimentando o cenário político americano.

O presidente teria pedido ao diretor do FBI, que livrasse o ex-conselheiro de segurança nacional, Michael Flynn, de averiguações sobre a sua relação com a Rússia.

Depois desse episódio, a imprensa revelou que na conversa com Lavrov, o presidente teria revelado informações  da inteligência americana  altamente confidenciais.

Uma informação, ao que tudo indica, recebida por Washington de Israel, com a condição de ser confidencial, era de que o grupo radical Estado Islâmico, pretendia fazer ataques contra os Estados Unidos, utilizando computadores portáteis em voos. Trump teria passado essa informação sigilosa para Lavrov.

O jornal “The New York Times”, publicou que Comey havia escrito um memorando, declarando que o presidente teria tentado acabar com uma investigação do FBI.

Paul Ryan, que é o presidente republicano da Câmara de Representantes, disse que o mais importante para o Congresso, são os fatos e não as especulações. Ele declarou ainda, que tudo vai ser investigado.

A Rússia negou que qualquer informação sigilosa, tenha sido mencionada por Trump a Lavrov. O presidente Vladimir Putin comentou que em Washington, o clima estava muito complicado, estando disposto a entregar ao Congresso, a gravação da conversa entre o presidente e o com o chanceler russo.

A imprensa dos Estados Unidos está com o seu foco no Congresso, onde apenas poucos membros do Partido Democrata se manifestaram, passando para os americanos e para o mundo, esse clima de incertezas e acusações.

Paul Ryan comentou que no Congresso, duas comissões estão fazendo investigações sobre as denúncias feitas sobre a relação da Rússia com as últimas eleições americanas que elegeram Trump. Ryan também comentou, que o titular da comissão de Supervisão da Câmara Baixa, Jason Chaffetz, do partido republicano, pediu formalmente ao FBI, que mande para o Congresso o memorando que foi feito por James Comey, segundo o New York Times.

This article was written by BeaC.