Empresa tem projeto para arranha-céu do futuro

A tecnologia nos dias de hoje está procurando cada vez mais ultrapassar os limites da física e até mesmo da.

Image result for Clouds Architecture Office

A tecnologia nos dias de hoje está procurando cada vez mais ultrapassar os limites da física e até mesmo da própria imaginação humana. De diversas formas a evolução da ciência está gerando um progresso que mudará a forma como diversas pessoas vivem. A empresa Clouds Architecture Office está no desenvolvimento de um projeto que tem o objetivo de construir um arranha-céu que não está dentro de nenhum padrão que as pessoas imaginam.

O arranha-céu do futuro estará em uma base de 50.000 quilômetros de altura e poderá flutuar pelo planeta. Atualmente esse plano parece ser totalmente impossível de ser realizado, mas isso não impede a análise das diferentes possibilidades para realizar esse grande feito.

A empresa que irá começar esse projeto já tem no seu currículo a projeção de casas de gelo para abrigar pessoas em Marte. Dominar a tecnologia do futuro é um objetivo que essa empresa está sempre buscando alcançar. A construção de uma torre que ficará pendurada em um asteroide é a mais nova meta que está nos planos da Clouds Architecture Office.

O nome do prédio seria Analemma e estaria a uma distância de 32.000 metros de altura do solo. Como o asteroide estará em um movimento constante na atmosfera, o empreendimento sempre estaria mudando de lugar o que traria um endereço novo para os moradores dessa torre.

A CNN ficou interessada nessa notícia e fez uma entrevista com o designer do projeto, Ostap Rudakevych, que disse: “Analemma é uma ideia especulativa de como isso pode ser atingido no futuro. Desde que os humanos saíram das cavernas, nossos prédios têm se tornado cada vez mais altos e leves. Nós acreditamos que, um dia, os arranha-céus vão se libertar da superfície da Terra, nos livrando de enchentes, terremotos e tsunamis”.

A empresa que tem a sua localização em Dubai será o lugar inicial de onde a torre começaria a sua trajetória de volta ao mundo. Os moradores teriam várias cidades e diversas paisagens diferentes frequentemente. Depois de dar a volta completa ao mundo o empreendimento retornaria novamente para o lugar de onde sairia em Dubai. Por estar em uma órbita geossíncrona, onde a rotação acompanha com exatidão a rotação da terra, o prédio a cada 24 horas daria a volta completa no planeta.

Apesar dos planos gerarem a maior de todas as novidades do ramo imobiliário, os cientistas da empresa admitem que por enquanto não existe tecnologia desenvolvida para alcançar os requisitos desse projeto. Antes será necessário analisar e investigar como se tornaria viável o suporte por meio de cabos com ótima resistência para se ligarem ao asteroide, e também ainda não se sabe como será possível manter o asteroide na órbita da Terra.

Para instalar toda a estrutura essencial que possa garantir segurança em um asteroide, os cientistas já conseguiram os primeiros avanços para que seja real essa possibilidade, pois no ano de 2016, a Agência Espacial Europeia (ESA) conseguiu pousar uma sonda no cometa 67P/ Churyumov-Gerasimenko, enquanto ele estava em movimento para chegar até o Sol.

This article was written by BeaC.