Especialista em segurança virtual explica como evitar ataques de hackers

De que forma aparelhos do nosso dia a dia, como televisores, celulares e computadores, podem se tornar espiões sem que.

Resultado de imagem para ataque hackers

De que forma aparelhos do nosso dia a dia, como televisores, celulares e computadores, podem se tornar espiões sem que nós percebamos? Conhecidos como crackers, ou hackers do mal, pessoas capazes de invadir ou modificar um programa de computador com o objetivo de roubar informações confidenciais.

Depois de tantos ataques cibernéticos, as pessoas passaram a ficar mais preocupadas com as informações expostas na internet, e com a própria segurança. Colocar senhas em arquivos, pastas compartilhadas, e perfis de redes sociais, é um bom começo para evitar que suas informações pessoais sejam divulgadas. Mas é preciso criar uma senha forte que seja difícil de decodificar.

“A melhor recomendação na hora de escolher uma senha, é que a pessoa varie os tipos de caracteres usados na senha. Então é possível combinar uma infinidade de caracteres e criar uma senha bastante segura, com letras maiúsculas, minúsculas, números e símbolos. Cada um deles tem um número de probabilidade de ser decodificado, então quanto mais variações houver maior é a segurança da senha”, disse o especialista em segurança virtual, Lucas Martins Rodrigues.

A segurança do roteador também é muito importante na hora de evitar o acesso de hackers do mal. “A senha usada, dependendo do tipo de criptografia, na hora de configurar o roteador de internet, ela também pode proteger a comunicação entre os dispositivos. Além disso, como só o proprietário tem a senha, ele pode acessar as informações de quem está conectado naquele roteador”, disse Lucas.

Hoje em dia os hackers conseguem acessar até mesmo os televisores e obter informações de quem está naquela casa ou ambiente. “Se o televisor tem acesso a internet ou então acesso a uma rede em que o hacker também pode estar conectado, as chances de informações serem acessadas é muito grande. Isso deixa o aparelho muito vulnerável a um ataque, porque todos esses dispositivos conectados a internet possuem a característica de rodar um sistema operacional, mais simples do que o utilizado no computador ou no celular, mas que permite erros de segurança”, alerta Lucas.

O especialista em segurança virtual dá dicas fundamentais para quem não quer ter seu conteúdo hackeado. “As melhores formas de proteção utilizadas em serviços online ou em outros lugares onde há senhas, é diversificar o número e os tipos de caracteres da senha e diversificar as senhas, ou seja, nunca usar a mesma senha para vários serviços. Além disso, é preciso tomar cuidado com os sites que são acessados por cada dispositivo, e-mails e arquivos recebidos, e com tudo que é baixado pela internet”, recomenda o especialista.

Em um universo de tanta exposição, a boa e velha desconfiança ainda aparece como a melhor alternativa para manter informações seguras. Por isso, é importante desconfiar de tudo que vemos na internet, e manter sempre um pé atrás na hora de expor informações importantes.

 

This article was written by BeaC.