Ingerir álcool na gestação altera a face do bebê

Mesmo em doses pequenas, ingerir bebida alcoólica pode causar alteração na face da criança Uma recente pesquisa do JAMA Pediatrics.

Imagem relacionada

Mesmo em doses pequenas, ingerir bebida alcoólica pode causar alteração na face da criança

Uma recente pesquisa do JAMA Pediatrics mostra que consumir pequenas doses de álcool na gestação, não é o bastante para causar malformações graves nos bebês, mas podem alterar seus lábios superiores, nariz e olhos.

Desde 1973 já se sabe que as crianças expostas a grandes doses de álcool durante a gestação podem ter problemas de desenvolvimento físico e mental chamados pela medicina de “desordens do espectro alcoólico fetal”, que em vários países como por exemplo a África do Sul, chega a ter 9% de gestantes que ingerem bebidas em quantidades suficientes para causar problemas aos seus bebês.

A medicina não tinha certeza dos efeitos colaterais e não sabia se um gole de álcool ocasionaria em alterações pequenas no bebê, já que a bebida faz efeito em doses altas. Um grupo de pesquisadores liderados pela pediatra australiana Jane Halliday, resolveram tirar a prova acompanhando a gestação de 1.570 mulheres, sendo que 27% delas consumiam pelo menos uma dose de álcool no decorrer dos 9 meses da gestação.

Quando os bebes completaram 1 ano de idade, 415 foram fotografados de diversos ângulos por câmeras montadas e um programa de computador criou modelos tridimensionais deles e essas imagens foram levadas para uma análise. O resultado mostrou que até as mães que tomaram a bebida apenas uma ou duas vezes durante a gestação inteira causaram alterações na feição dos seus bebês, tais como o nariz empinado e um pouco mais curto que chegam a ser imperceptíveis a olho nu e só foram descobertas através do algoritmo.

“Os resultados apontam que há alguns efeitos, mesmo que bem sutis”, afirmou Halliday à New Scientist. “Talvez eles não sejam duradouros, pois o rosto de uma criança muda muito nos dois primeiros anos de vida.”

Vale reforçar que essas alterações são somente estéticas, e não foi apresentada nenhuma alteração mental ou corporal do bebê. Os mecanismos pelos quais o álcool afeta os bebês são poucos conhecidos e a pesquisa é o primeiro passo para entender porque alguns bebês são imunes a intoxicação por bebidas alcoólicas.

Não existe um consumo seguro ou algum meio de imunizá-las, e Halliday pediu calma as mulheres que ingeriram sem querer alguma quantidade de álcool sem saber que estavam grávidas “Até esse estágio da pesquisa, não levantamos nenhum problema digno de preocupação.” Muitas mães que já fazem o consumo da bebida regularmente acabam ingerindo sem saber que estavam grávidas.

Um método útil de diagnostico de casos leves de desordens será o método de análise 3D, muitas vezes não há informações confiáveis sobre a ingestão de álcool na gestação de bebês examinados.

Veja também: Uma taça de vinho por dia pode não fazer bem para o coração

This article was written by BeaC.