Marcio Alaor noticia sobre o aumento da taxa de juros do cartão de crédito

Os bancos continuaram a aumentar as taxas de juros para o consumidor brasileiro nesse início de 2017, de acordo com.

Os bancos continuaram a aumentar as taxas de juros para o consumidor brasileiro nesse início de 2017, de acordo com informações repassadas pelo Banco Central. Esse movimento permanece constante apesar dos vários cortes feitos pelo BC na Selic, a taxa de juros básica na economia do país, informa o vice-presidente do BMG, Marcio Alaor.

No mês de janeiro, a taxa cobrada pelas operações do cartão de crédito rotativo, que é a mais cara do mercado, aumentou progressivamente e atingiu o patamar de 486,8% ao ano, um recorde até então jamais alcançado. No mês de dezembro do ano passado, os juros dessa operação de crédito estavam em cerca de 484,6% ao ano. Isso vai contra as medidas adotadas pelo Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, que recentemente em janeiro, cortou novamente a Selic, a qual está agora em 12,25% ao ano.

Em relação ao cheque especial, segundo o Banco Central, os juros médios que são cobrados pelos bancos nas operações que envolvem pessoas físicas tiveram uma pequena queda, chegando assim a 328,6% ao ano, no mês de dezembro 2016, e a 328,3% em janeiro desse ano, noticia Marcio Alaor, do BMG.

Ainda assim, os juros seguem próximos ao recorde histórico de 330% ao ano, que foram registrados no mês de novembro de 2016. Tanto a modalidade de crédito do cartão rotativo, como também o cheque especial, só devem ser utilizadas em casos de extrema emergência e por um pequeno espaço de tempo, segundo os especialistas, pois possuem um alto custo proibitivo. Já o cartão de crédito, a recomendação é de que os clientes tentem pagar a fatura completa no vencimento e evitar deixar qualquer saldo devedor, relata o executivo do Banco BMG, Marcio Alaor.

Devido a esses recordes, o governo já demonstrou interesse em baixar as taxas de juros e, para isso, anunciou recentemente que o seu objetivo é fazer com que as taxas do cartão de crédito diminuam metade do patamar que está sendo cobrado atualmente pelos bancos. Se essa medida for de fato implementada, os juros recuariam para aproximadamente 240% ao ano, um número ainda muito elevado quando comparado aos padrões internacionais.

Para começar a colocar isso em prática, o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou uma norma que restringirá o prazo do crédito rotativo do cartão de crédito.

De acordo com essa norma, o rotativo só poderá ser utilizado até o vencimento da próxima fatura. Se ao chegar na data do vencimento o cliente não tiver ainda realizado o pagamento total de sua fatura, o restante irá ser parcelado ou quitado, informa Marcio Alaor, do BMG.

As expectativas com isso é de que todas as medidas do governo para baixar os juros do cartão de crédito sejam colocadas em prática até o fim do primeiro trimestre do ano de 2017. Entre elas, a maior ação consiste nessa limitação do prazo para o pagamento do rotativo para um limite de 30 dias. Atualmente, esse prazo é mais longo, o que contribui para o aumento das taxas do cartão pelos bancos, noticia o executivo do Banco BMG, Marcio Alaor.

 

 

This article was written by BeaC.