Nova lei permitirá que a Anvisa fiscalize a manutenção do ar condicionado

Muito utilizado pelos brasileiros, principalmente nas regiões mais quentes do país, o ar condicionado é um grande aliado contra os.

Muito utilizado pelos brasileiros, principalmente nas regiões mais quentes do país, o ar condicionado é um grande aliado contra os efeitos causados pela alta temperatura no verão. Contudo, esse privilégio de sentir uma temperatura mais fresca pode causar sérios danos à saúde, caso a manutenção do aparelho não seja feita corretamente.

Esse é um alerta feito pelos órgãos competentes que pretendem fiscalizar a manutenção desse equipamento através da implantação de uma lei específica. Segundo informou esses órgãos, a limpeza inadequada do equipamento pode causar problemas como conjuntivite, rinite, bronquite e muitas outras doenças respiratórias e alérgicas.

Esses problemas de saúde tem aumentado a medida que as vendas desses equipamentos aumentam. Sendo assim, o assunto já virou problema de saúde pública, que deve ser contido pelos órgãos do governo. Como uma forma de eliminar ou pelo menos minimizar esses efeitos a saúde, uma nova normativa visa estabelecer parâmetros para fiscalização da limpeza adequada do ar condicionado.

A qualidade regulamentada para o equipamento será avaliada de acordo com os critérios da Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária – que receberá as normas técnicas estabelecidas pela ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas.

O presidente Arnaldo Basile da Abrava – Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento – e do Comitê Nacional de Climatização e Refrigeração, disse sobre a nova lei do ar condicionado: “São inúmeras as doenças comprovadamente causadas pela má qualidade do ar, neste caso geradas por manutenção inadequada de sistemas de ar condicionado”.

A nova lei que fiscalizará a manutenção desses equipamentos determina que os locatários, proprietários e prepostos responsáveis pela manutenção dos sistemas de climatização que já estão instalados deverão cumprir com todos as medidas implantadas pela lei em um período de 180 dias, contados a partir da regulamentação e publicação da lei no DOU – Diário Oficial da União.

Além da manutenção indevida do equipamento, alguns especialistas em saúde explicam que a utilização excessiva desse equipamento pode causar alguns problemas respiratórios ou agravar quadros já diagnosticados. Sendo assim, a recomendação é utilizá-lo em temperatura agradável, mas não muito abaixo do que seria normal, pois o ar muito gelado prejudica o processo de aquecimento do ar feito pelas narinas.

This article was written by BeaC.