OMS considera pela primeira vez o vício em games como um distúrbio mental

A Organização Mundial da Saúde passou a considerar pela primeira vez, o vício em jogos como um distúrbio mental. O.

A Organização Mundial da Saúde passou a considerar pela primeira vez, o vício em jogos como um distúrbio mental. O distúrbio em games entrou na lista na 11ª posição na Classificação Internacional de Doenças, a CID. No documento são descritos problemas como o padrão de comportamento persistente ou frequente em jogos tão agravado, que faz com que a pessoa prefira jogar do que ter qualquer outro interesse na vida.

Essa condição já havia sido exaltada em alguns países como um problema para a saúde pública. Países como o Reino Unido, possuem clinicas especializadas para o tratamento deste distúrbio.

Em 1992 foi finalizada a última versão da CID, e publicada somente este ano. O documento possui códigos para a doença, sintomas ou sinais utilizados por médicos e pesquisadores no rastreio e diagnóstico da doença.

O comportamento típico de viciados em jogos é sugerido no documento, e a pessoa será observada por mais de doze meses para poder ser diagnosticada. Essa nova CID ressalta que em casos graves com sintomas fortes, esse período pode ser reduzido.

O especialista de vícios em tecnologia do Hospital Nightingale, em Londres, Richard Graham, diz que o distúrbio é algo grave que deve ser levado a sério, e cria oportunidades de serviços mais especializados. Ele ressalta que é necessário cuidado para não cair na idéia que todo mundo necessita de tratamento e medicação.

De acordo com Graham, são 50 casos novos de viciados em games por ano com critérios que mostram como o jogo afeta suas atividades básicas de comer, beber, dormir e se socializar. Se em todos os casos a resposta for positiva então pode ser um problema.

O manual de estatísticas e diagnóstico de distúrbios mentais em 2013 considerava o distúrbio como uma condição a ser estudada, que não era oficialmente reconhecida.

Alguns países adotaram medidas preventivas para combater o problema. O governo da Coréia do Norte criou uma lei que proíbe o uso de games por menores de 18 anos entre os horários de meia noite e seis da manhã.

A Universidade de Oxford sugeriu em um estudo que no caso das crianças que passam muito tempo em frente a tela não é necessariamente considerado como um vício.

 

This article was written by BeaC.