Recifes artificiais preservam a vida marinha e geram lucro para empresas

Os recifes artificiais são estruturas, fixas e não poluentes, que colocadas de forma intencional no ambiente subaquático podem interferir positivamente.

Os recifes artificiais são estruturas, fixas e não poluentes, que colocadas de forma intencional no ambiente subaquático podem interferir positivamente no relevo e no desenvolvimento da vida marinha. Os recifes artificiais são regulamentados pelo IBAMA através da NI nº22 e geralmente são formados a partir de concreto (material altamente resistente e não nocivo ao ambiente aquático), após prévio planejamento, essas estruturas são lançadas na água e atraem diversas espécies contribuindo assim para o desenvolvimento da biodiversidade.

No Brasil, o estado do Paraná possui o maior programa de recifes artificiais marinhos com cerca de 2 mil dessas estruturas submersas, o RAM (Recifes Artificiais Marinhos) foi criado pela PUC-PR. Em Nassau, nas Bahamas, encontra-se a maior escultura aquática que também é um recife artificial. A escultura, do artista Jason deCaires Taylor, é a reprodução de uma imagem humana feminina e tem 17 metros de altura e pesa cerca de 60 toneladas.

Desde 2013 vem surgindo iniciativas como a da Associação de Recifes Artificiais de South Walton (SWARA) que instalou dezenas de estruturas pelo litoral do condado de Walton. Nesses últimos anos, a SWARA e a Aliança Cultural de Artes do condado de Walton (CAA) uniram forças para criar o primeiro Museu de Arte Submersa que iniciou um projeto consistindo em fixar diversas peças a cerca de 20 metros de profundidade a fim de transformar o local em refúgio marinho e atração turística.

Ainda sobre o ramo de atrações turísticas, o investimento em marketing de localidade está levando empresas a projetar recifes artificiais para atrair turistas, gerar empregos e movimentar a economia. A cidade de Maricá deve receber nos próximos anos o projeto de arrecife móvel com o objetivo de atenuar o avanço das ondas e formar uma boa arrebentação para prática do surf. É uma tecnologia inovadora constituída de tanques de flutuação o que a faz ser facilmente removida e transportada para outros locais. Já em Guarapari, no Espírito Santo, o navio de bandeira grega Victory 8B ainda atrai mergulhadores de todo o mundo. A escolha pelo afundamento do navio no local se deu por meio de uma pesquisa que identificou a biodiversidade de Guarapari como a maior do mundo. Além do benefício econômico, o Victoryn 8B também abriga algas, cardumes se alimentam do plâncton e todo tipo de vida marinha pode ser encontrado por lá. Esse tipo de ação só reforça a poderosa contribuição da ação humana quando empregada de forma correta e engajada.

This article was written by BeaC.