Relação entre o mercado financeiro e o combate a corrupção – com Ricardo Tosto

Na metade do ano passado (2016), era publicado um artigo muito interessante escrito por um dos associados da Leite, Tosto.

Na metade do ano passado (2016), era publicado um artigo muito interessante escrito por um dos associados da Leite, Tosto e Barros, tratando sobre a possível relação entre os interesses do mercado financeiro internacional com algumas operações de combate a corrupção que tem efeito sobre tudo aqui no Brasil, mas também se mantém em âmbito internacional.

Ricardo Tosto, também associado da Leite, Tosto e Barros seleciona alguns pontos que foram abordados pelo autor na época, mas que mesmo hoje em dia, mais ou menos seis meses depois, ainda não se mostraram conhecidos do grande público, que poderia ser o grande interessado justamente nessas operações.

Num primeiro momento Ricardo Tosto relembra que o autor fazia um apanhado sobre como funcionava o mercado financeiro, bem como estava essa relação comercial em um mundo cada vez mais globalizado. O fato era que pelo advento da globalização, o mercado internacional precisava de regras, ou leis, que atuassem não só nos Estados Unidos da América, berço da economia internacional, mas também pudesse ser exportada assim como os produtos e serviços para o máximo de países possível.

O texto selecionado por Ricardo Tosto falava que nos anos 1970, nasceu uma lei de controle de corrupção, não só porque os recursos que poderiam estar indo para saúde, educação ou saneamento estava ficando nas mãos de corruptos, mas sim porque esse mesmo dinheiro estava ficando concentrado nas poucas empresas. Mas com o mundo globalizado, não adiantaria controlar a corrupção apenas nas terras do tio Sam, quando outros países mantinham gigantes empresas que contabilizavam milhões e até bilhões em dinheiro desviado.

É importante chamar a atenção para o fato de que não se estava julgando ou pontuando o que é certo ou que é errado quando se trata em combate à corrupção. Ricardo Tosto enumera algumas operações citadas no texto de 2016. Entre elas não poderia deixar de chamar a atenção para a operação Lava Jato e o caso Fifa.

Já era de conhecimento geral que havia um grande interesse por parte dos Estados Unidos no mercado do Futebol. Não só em termos esportivos como também no mundo das finanças. Existe um mercado milionário que gira ao redor do Futebol e as empresas americanas estavam ficando de fora dado o possível esquema dentro da Fifa e algumas (poucas) empresas.

Quando se trata do assunto Lava Jato, é muito fácil cair na tentação de uma grande salvação por parte do expurgo dos corruptos, é até pode ser, mas o que aconteceu era que o mercado das construções e do petróleo Brasileiro estava fechado para os chamados grandes jogadores, ou players, para usar o termo em inglês.

Então é possível sim que essas operações tragam grandes frutos para a população em geral, mas por outro lado as grandes empresas já estão sendo beneficiadas.

Ricardo Tosto reporta essas notícias tentando entender um outro lado não muito noticiado, mas não necessariamente apontando este ou aquele caminho.

Caso queira saber mais ou ler a matéria na integra você pode acessar o link: http://www.tostoadv.com/disputa-de-mercado-move-grandes-operacoes-de-combate-corrupcao/

 

 

This article was written by BeaC.