Sete planetas foram descobertos e o acontecimento animou cientistas ao redor do mundo

A descoberta de sete planetas foi divulgada pela revista Nature e causou grande comoção na comunidade científica mundial. Compondo uma.

A descoberta de sete planetas foi divulgada pela revista Nature e causou grande comoção na comunidade científica mundial. Compondo uma espécie de sistema, o conjunto destacou-se de três dos seus elementos apresentarem possíveis condições de serem habitáveis, havendo água em estado líquido. O feito animou cientistas, que disseram se tratar apenas do início de uma série de revelações. Outro fato que surpreendeu muitas pessoas, foi a composição dos achados, uma vez que se parecem muito com a Terra.

A trajetória de rotação dos planetas foi descrita como plana e realizada de modo ordenado em torno de uma estrela fria e anã, cujo nome é Trappist-1. Para David Barrado, representante de um centro que estuda astrobiologia, trata-se de uma emocionante descoberta. Segundo ele, é possível estabelecer um paralelo com o descobrimento da América, já que considera o feito, algo realmente pioneiro. O cientista, em uma recente declaração, referiu-se ao acontecimento como a desbravamento de novos mundos.

Barrado afirmou que, quando classificadas como frias, as estrelas são encontradas em maior número no espaço. A suspeita de que o sistema de planetas possa possuir mais elementos, aumenta a expectativa quanto a real quantidade de componentes da galáxia. Em 2016, outra descoberta trouxe à luz um corpo celeste com características bastante próximas as do solo terrestre. O responsável pela pesquisa, Guillem Anglada-Escudé, da universidade londrina Queen Mary, atribuiu grande importância ao recente anúncio astronômico.

Escudé tem a convicção de que possa existir um ainda desconhecido sistema planetário e com estrutura mais complexa do que os já conhecidos. O cientista, que recebeu destaque pela revista especializada Nature, procura agora descobrir se tais elementos possuem atmosfera, o que seria um requisito imprescindível para o estabelecimento de algum tipo de vida. Já o o pesquisador Rafael Rebolo, de um instituto voltado ao estudo de astrofísica, nas Ilhas Canárias, cita que a Terra possui peculiaridades que a tornam um planeta excepcionalmente importante para o universo.

O imaginário coletivo ganhou novos reforços quando do anúncio da existência dos exoplanetas, aponta o cientista Jesus Martínez Frias da Universidade Complutense de Madri. Se antes as pessoas já especulavam se haveria vida fora da Terra, com as atuais revelações, esse comportamento foi aguçado. O pesquisador é defensor da ideia de que os habitantes terrestres não estariam sozinhos em sua existência, embora ainda não haja qualquer comprovação científica acerca dessa suspeita.

Frias, entretanto, destaca que há grande diferença entre um planeta ser habitável e de fato comportar vida em si. Segundo ele, os estudos científicos atuais sugerem a necessidade da presença do elemento carbono, da mesma forma que a água, para a real existência de seres vivos, assim como ocorre com o planeta Terra. O cientista não descarta, contudo, a possibilidade de haver formas vivas ainda mais evoluídas que os seres humanos.

 

Saiba mais

 

This article was written by BeaC.