Torne-se um MEI e seja dono do seu próprio negócio

Ser empresário no Brasil é uma das atividades mais difíceis e arriscadas de se manter a longo prazo, e grande.

Ser empresário no Brasil é uma das atividades mais difíceis e arriscadas de se manter a longo prazo, e grande parte disso está atrelada a quantidade enorme de impostos que é preciso pagar para estar atrelado a um modelo de empresário de grande porte. E é isso que pode acabar tornando difícil a situação de muitas pessoas que acabaram colocando todo o seu patrimônio ou reservas sob a risca de ter um negócio que sonhavam em dar certo. Por sua vez, é preferível que planeje e se enquadre numa modalidade mais modesto para que assim que os negócios melhorarem seja dado mais um passo e tenham maiores arrecadações, e consequentemente maiores tributações. E para tal, será o modelo de Microempreendedor Individual – MEI, um sistema de grande apelo popular que pode tornar a vida das pessoas que desejam ser protagonistas de suas próprias ações as melhores alternativas a serem tomadas.

O Microempreendedor Individual – MEI precisa estar regulamentado por meio da Lei Complementar nº 128/2008 que alterou a antiga Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (nº 123/2006) para dar lugar a a figura do Microempreendedor Individual, e desse modo, para que suas atividades sejam consideradas legais, será mediante o registro no site do Portal do Empreendedor e mantendo mensalmente o pagamento dos boletos, que são as DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional), a qual serão repassados diretamente para as contas do estado, do município e da União.

Portanto, para maiores informações de como uma pessoa possa se enquadrar no modelo de MEI e tirar todas as dúvidas, o melhor é entrar no site do Portal do Empreendedor e ficar ciente dos seus direitos e obrigações. Para tal, é importante e conveniente se atentar que uma vez vinculado ao MEI, os mesmos terão seus tempos de contribuição para aposentadoria contados normalmente como se estivessem em um emprego fixo ou pagando os carnês de autônomos. E que juntamente a isso estão amparados caso algum inconveniente venha ocorrer, desde um afastamento periódico das atividades, até um possível falecimento, o qual os familiares do MEI receberão gratificações das contribuições destinadas ao estados, municípios e da União.

 

This article was written by BeaC.