Uma pesquisa sueca revelou que pessoas que possuem cachorros estão tendo uma vida mais longa

Ter um cachorro como seu companheiro no dia a dia, faz com que a pessoa apresente uma vida mais saudável..

Ter um cachorro como seu companheiro no dia a dia, faz com que a pessoa apresente uma vida mais saudável. Diversas pesquisas já mostraram que essa afirmação é verdadeira, já que os donos desses animais geralmente apresentam uma estrutura física mais jovem de até dez anos. Essas pessoas também podem apresentar menos estresse, menor pressão arterial, evitando com isso o aparecimento de doenças cardíacas e apresentam menores possibilidades de ficarem resfriados.

Os pesquisadores acreditam que as respostas para todos esses fatores positivos apresentados pelos donos de cachorros, se devem ao fato que eles acabam levando uma vida mais ativa do que aqueles que não possuem animais, já que acabam levando diariamente eles para passear e com isso, eles acabam fazendo uma caminhada, além de apresentarem também menores índices de depressão.

Um grupo de pesquisadores suecos, da Universidade de Uppsala, descobriu que o bem-estar gerado pela convivência diária com esses animais, acaba tendo uma relação direta com uma vida mais longa. Eles acreditam que ter um cão, reduz os índices de morte em até 33%.

Essa pesquisa foi realizada por um período de doze anos, e analisou cerca de 3,4 milhões de habitantes do país. Todas as pessoas analisadas tinham idades entre 40 e 80 anos, sendo que a idade média dessas pessoas era de 57 anos. Os dados analisados eram formados pelo histórico médico da pessoa, o estado civil e se ela possuía ou não um cão.

Eles concluíram que  as pessoas que possuíam animais,  além de apresentarem menores índices de morte devido à causas naturais, elas tiveram índices 11% menores de morrer por um problema cardíaco. Segundo um dos responsáveis por essa pesquisa, Mwenya Mubanga, as consequências apareceram principalmente para aquelas pessoas que não tinham nenhuma outra pessoa fazendo companhia.

Ele ainda declarou em uma entrevista dada à Bloomberg, que ter um animal como esse fez uma enorme diferença em relação às pessoas que moram sozinhas. Em pesquisas anteriores, os pesquisadores acabaram concluindo que as pessoas que vivem sozinhas, podem apresentar maiores chances de ter doenças cardíacas e falecer. O estudo ainda mostrou que esses animais acabam virando verdadeiros integrantes da família, para aqueles que vivem sozinhos. Essa pesquisa foi divulgada pelo periódico Scientific Reports.

 

This article was written by BeaC.